Sobre Nos

Olá, meu nome é Jutta e vivo em Portugal desde 1985.Com este pequeno projecto pretendo concretizar a manifestação de uma vida saudável. Em primeiro lugar, uma vida saudável significa uma vida com dignidade e respeito pelo outros seres e a Terra, o que implica uma grande abertura para a aprendizagem com outras pessoas.

O Projeto Vida Desperta tem tido um grande impacto na minha vida desde há três anos. Aos vinte anos durante viagens à Ásia tive o primeiro contacto com a meditação e a espiritualidade, o que deixou uma forte marca. Passei a vida à procura da verdade, de um sentido mais profundo e finalmente do entendimento de porque estou aqui e qual é o meu papel.

O primeiro passo nesta direcção foi a mudança para Portugal, onde procurei mais intimidade com a natureza. Deixei o percurso planeado, no qual estudei História da Arte, Filosofia e Alemão, para trás, e criei uma comunidade com mais três adultos e o meu filho, comecei trabalhar na terra e aprendi a construir casas. Hoje sei que fomos pioneiros muito corajosos, porque tivemos de inventar uma nova vida. Depois de dez anos saí da comunidade porque faltavam os alicerces para viver em união.

Criei uma nova arte, criando candeeiros chamados “Corpos de Luz”. Neste trabalho pretendo transmitir simplesmente o meu amor pela vida. É uma ferramenta muito forte para transformar impulsos criativos em matéria,e expressar a ligação pela natureza. Reciclo vários materiais, faço terra transparente e visível e uso materiais da natureza.

Nos últimos quinze anos evoluí esta arte, criei o meu filho e construí, com a ajuda de outros, o espaço que hoje se chama Casa Ervas Silvestres. Também continuei a aprofundar o meu conhecimento sobre a alimentação natural, que é um interesse meu desde há 30 anos.

Na minha ultima viagem para Índia, especialmente Auroville, onde procuro respostas sobre a vida em comunidade, aprendi Mama massagem, que é ligada a massagem Ayurvedica. Esta aprendizagem também profundou o meu conhecimento sobre Shiatsu. hoje do massagens intuitivos.

Não esqueci o caminho espiritual. Segui durante três anos os ensinamentos de Sri Chinmoy, que foi o meu mestre e brilha ainda no meu coração.
Como o ensinamento era muito enraizado em práticas e regras orientais, ainda não tinha acabado a busca.

Desde o primeiro encontro em Março 2009 com Pete Bampton, sabia que tinha encontrado o que procurava. Uma combinação entre espiritualidade, boa alimentação e cuidado pelo ambiente, aplicável numa vida moderna. Faço parte de um grupo de mulheres que a Cynthia Bampton fundou e consigo perceber mais e mais o condicionamento feminino que me impede de viver o meu real potencial. Nos últimos anos também recebi na minha casa retiros de meditação guiados pelo Pete e tive a oportunidade de aprofundar o significado da meditação na vida real.

Mas a importância maior desta ligação é a renovação da vida em si. Sinto que não há nada mais interessante do que crescer juntos com pessoas que não querem nada mais do que deixar os condicionamentos para trás, para se desenvolver para além disso. Isto significa que é possível criar novas estruturas nas quais cada um encontre segurança e a possibilidade de chegar ao seu potencial e fundi-lo com os potenciais das outras pessoas. Sinto-me puxada para ser quem sou, sinto-me puxada para dar o que tenho a dar…..sinto-me bem vinda na vida…